Sunday, June 25, 2017

Gosto ...

Queria partir, queria sair...
porque me apertam, porque me prendem...
porque não me deixam simplesmente ir ?
será que no fundo, no fundo, sabem mais do que eu ?

Será que afinal, do que eu gosto é da rotina ?
da rotina e de como eu preciso dela,
do seu aperto
que me asfixia a luxúria,
num agridoce pretexto

De como gosto do desassossego,
de esconder a minha nudez,
de estar aqui, de estar ali,
de estar em todo o lado
e em lado nenhum...

De como gosto da afirmação e da negação,
De ser tudo e nada...

De como gosto do confronto,
e nesse jogo... de quem é mais,
rezo por quem jaz,
pela verdade nua e crua...

Porque me inquieto com a guerra ?
Porque me questiono com a paz ?...

Gosto de ser quem sou
de pensar que ainda sou capaz,
gosto dessa ousadia,
Eu sou o que sou !

P. Restlessmindx (2017)

Finitude...

The fragility and the disease when it happens to whom we like, paradoxically, instead of approaching sometimes simply distances us ... But...